sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Assange teme ser morto na cadeia caso seja extraditado para os EUA

Julian Assange afirmou hoje que corre risco de ser assassinado caso seja mandando para uma prisão norte-americana, ainda que acredite ser "politicamente impossível" que a Grã Bretanha o extradite para o país que quer acusá-lo de espionagem.
 
Em uma entrevista ao jornal inglês The Guardian, Assange classificou como "alta a probabilidade" de ser morto nos Estados Unidos -- a imprensa britânica especula que Washington avalia pedir sua extradição.
 
"Tudo é uma questão política. Podemos presumir que haverá uma tentativa de influenciar a opinião da Grã Bretanha, e influenciar a percepção que se tem de mim", afirmou e acrescentou dizendo acreditar que seja difícil que o Reino Unido o extradite caso ele tenha apoio da população britânica.
 
Legalmente, o país "tem o direito" a não extraditá-lo por crimes políticos. Há uma semana o australiano conseguiu liberdade condicional mediante pagamento de fiança no Reino Unido. O pedido de extradição feito pela Suécia, onde é acusado de abusar sexualmente de duas mulheres, foi negado.
 
Sua defesa avalia que a acusação se trata de uma farsa, cujo propósito final é envia-lo para a América do Norte, o que ele considera uma persuasão política por suas publicações de documentos da diplomacia norte-americana.
 
Até agora o WikiLeaks publicou cerca de 1.900 textos de um total de 250.000 que possui, o que causou agitação internacional e criou problemas para diversos Departamentos de Estado.


Fonte: Ansa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, assim saberemos o que você gosta, pensa, quer!

Chat